Sustentabilidade

Política sobre Sustentabilidade

Responsabilidade Ambiental

É compromisso de todos os Negócios da Organização Odebrecht trabalhar com responsabilidade ambiental, considerando a preservação ambiental e da biodiversidade como um valor na operação de toda a cadeia de negócios.

As empresas atuam na prevenção e, quando necessário, na remediação ou mitigação de impactos ambientais. Para isso, gerenciam riscos e monitoram a forma como suas atividades interferem na natureza.

A Organização tem compromisso com a:

  • Otimização no uso de recursos naturais;
  • Utilização de tecnologias mais limpas;
  • Preservação da biodiversidade;
  • Redução, reciclagem e reúso de resíduos e materiais;
  • Redução, reciclagem e reúso de resíduos e materiais;
  • Agenda de Mudanças Climáticas – Gestão e Controle das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). 

A Odebrecht contribui para a geração e disseminação de conhecimento na área ambiental como elemento essencial ao diálogo e à tomada de decisão na direção do desenvolvimento sustentável.

 

Conheça algumas das iniciativas:

El Sendero del Yumbo

No Equador, a Odebrecht Infraestrutura - América Latina criou o centro de estudos da fauna e flora na zona de influência do Projeto Hidrelétrico Manduriacu. O programa mantém um parque natural que recebe visitas guiadas, especialmente de crianças. O empreendimento também fomenta o turismo na região.

Estação Ambiental Braskem

Localizado no cinturão verde do Polo Petroquímico de Triunfo, no Rio Grande do Sul, o projeto cataloga espécies de animais e plantas desde 1980. O local, que tem liderança da Braskem, funciona também como um polo de educação ambiental, recebendo diariamente visitas de escolas de todo o estado.

 

 

Cinturão Verde

A Odebrecht recupera uma área degradada em Maceió, Alagoas, desde 1987. A Estação Ambiental, gerida pela Braskem, foi catalogada pela Unesco como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – um reconhecimento mundial pela conservação da biodiversidade e pelo desenvolvimento sustentável.

Fábrica de Florestas

Recupera trechos de Mata Atlântica, formando corredores ecológicos no Brasil. A iniciativa focou, inicialmente, no litoral Norte da Bahia e seu sucesso a levou para regiões de São Paulo e do Rio de Janeiro. O projeto é realizado pelas empresas do Polo de Camaçari, entre elas a Braskem e a Cetrel – ativo da Odebrecht Ambiental –, em parceria com o Instituto Fábrica de Florestas. Um dos resultados foi o reconhecimento do Parque do Sauípe como Posto Avançado pela Unesco. Desde 2008, já foram produzidas mais de 800 mil mudas, com meta de chegar a 1,6 milhão em 2020.

Lagoa Viva

Promove oficinas dedicadas à educação ambiental e à capacitação para apoiar a restauração e conservação da natureza, a geração de renda da população e a promoção da cultura. A iniciativa é realizada pela Braskem em Alagoas, na área de influência de sua unidade de Cloro Soda. Desde o início do programa, em 2001, mais de 480 escolas de 39 municípios alagoanos foram atendidas, alcançando, indiretamente, 236 mil pessoas.

Coleta+Rio 

A Concessionária Porto Novo, que tem a Odebrecht Properties como acionista, desenvolve um sistema pioneiro de coleta seletiva de lixo na região do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. A nova lógica de limpeza armazena os resíduos em cubas subterrâneas até o recolhimento, diminuindo o mau-cheiro e a proliferação de ratos e baratas. O Coleta+Rio também estimula a reciclagem.

Rede Recicla Rio

A empresa de trens SuperVia – ativo da Odebrecht TransPort – mantém o projeto socioambiental, que gera trabalho e renda mensal a catadores de lixo de cinco cooperativas do Rio de Janeiro.

 

 

 

Canteiro Sustentável

Conjunto de soluções sustentáveis aplicadas ao Parque da Cidade, em São Paulo, o tornou apto a buscar as certificações verdes LEED, Aqua e LEED-ND, esta última inédita na América do Sul. O LEED-ND valida o empreendimento da Odebrecht Realizações Imobiliárias, considerando os edifícios do entorno e a vizinhança, e enfatizando aspectos de desenvolvimento sustentável combinados com práticas e edifícios verdes. O uso racional de recursos inclui soluções como vidros de alta eficiência energética, que deixam a luminosidade entrar, mas barram o calor, reduzindo o consumo de energia elétrica e de ar-condicionado. Nos jardins, as luminárias se abastecem com a luz solar e acendem sozinhas à noite. Para acompanhar os consumos da obra, há um painel à disposição dos profissionais que permite a consulta, em tempo real, de informações importantes como o consumo de energia, água e gás, produção de lixo e monitoramento do tráfego na região.

Verde Novo

Enseada Indústria Naval recupera e conserva nascentes, matas ciliares e manguezais na Zona Rural de Maragojipe, na Bahia. A meta é realizar o plantio de cerca de 50 hectares dessas vegetações, além das ações de educação ambiental que acontecem paralelamente, envolvendo a população de Irriquitiá. O empreendimento conta ainda com um programa de gerenciamento de resíduos sólidos e de efluentes, assim como o acompanhamento da fauna silvestre.

UHE Santo Antônio

Para causar o menor impacto ambiental possível, a Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia, vem sendo construída dentro de elevados padrões de Sustentabilidade. Os cuidados começaram na escolha do local do canteiro, que privilegiou a ocupação de áreas onde já havia intervenção anterior, reduzindo a necessidade de desmatamento em 30%. A montagem do canteiro reutilizou madeira de desmatamento em grande parte da estrutura física. Quando a obra for finalizada pelo Consórcio Santo Antônio Civil (com participação da Odebrecht Infraestrutura - Brasil), a área será recuperada e voltará a integrar a floresta. A maior parte do reflorestamento previsto está sendo executada em paralelo à obra, por meio do plantio de 190 mil mudas nativas. Cerca de 90% dos resíduos gerados são reciclados e parte dos orgânicos vira adubo.

Arenas Sustentáveis

A Odebrecht Properties opera arenas esportivas que contem ações ecologicamente corretas. Entre elas estão o Maracanã, no Rio de Janeiro, a Itaipava Arena Fonte Nova, em Salvador, e a Itaipava Arena Pernambuco. Os diferenciais do estádio carioca, por exemplo, estão nos preceitos de alto desempenho energético e ambiental, como os dispositivos que produzem energia e economizam água. Há o sistema de captação pluvial que ajuda a irrigar o gramado e abastece os sanitários dos banheiros coletivos, cujas torneiras inteligentes têm fechamento automático. A iluminação do Maracanã é em LED, com 23.500 luminárias de baixa manutenção e longa vida útil. Completam a lista escadas e elevadores inteligentes e equipamentos econômicos de ar-condicionado. O estádio conta ainda com painéis de energia solar capazes de gerar 400 quilowatts/pico, equivalente ao consumo de 200 residências. Soluções semelhantes também foram aplicadas às outras arenas.

Certificações no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo

A Organização das Nações Unidas (ONU) certificou quatro obras de infraestrutura da Odebrecht no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL): no Brasil, o Parque Eólico Corredor do Senandes, no Rio Grande do Sul, e a Usina Hidrelétrica Santo Antônio, em Rondônia; no Peru, a Hidrelétrica de Chaglla; e na República Dominicana, a Hidrelétrica de Palomino. Com isso, quando esses projetos estiverem em operação, gerarão 6 milhões de toneladas de CO2 porano em créditos de carbono. Isso equivale ao dobro do que a atuação de empreendimentos de Engenharia e Construção gerou de gases de efeito estufa em 2012.